sexta-feira, 20 de março de 2009

sherazade...

1/9/2008 - 9h50min

ao trancar a porta para mais uma partida para são paulo, vejo na parede, bem ao lado, uma lagarta verde com detalhes em laranja, marrom e preto.

linda!
dessas, nunca tinha visto.
não poderia deixar de fotografar... claro.

quando voltei, no dia 3/9, ela tinha se transformado num belo e robusto casulo.
decidi acompanhar sua evolução.
ela ganhou um nome - sherazade, que foi dado por aquele que seria o seu padrinho, o amigo quasímodo.



19/9/2008 - 15h17min


entre os dias 3 e 19/9, praticamente não houve alteração.

apenas alguns pequenos detalhes.
alguns minúsculos pontos brilhantes que surgiram entre as nervuras de sua formação.

além disso, era possível ver alguma coisa através da fina casca do casulo. algo como se fosse um mapa hidrográfico.
na parte superior, também havia um sinal brilhante, dava a impressão de ser um tipo de resina, que a mantinha grudada na parede.


novamente, fiquei uns dias fora.

27/9/2008 - 14h35min


na minha volta, lá estava ela - transformação radical!
de verde, passou para marrom; como uma folha seca de um arbusto qualquer.
mostrava também, um certo ponto amarelo escuro e muitas pintinhas negras.



no mesmo dia, à noite...



27/9/2008 - 21h20min
ao sair com uma amiga, deparo com esse bichinho maravilhoso, indefeso, inocente, ainda grudada no casulo, se movimentando vagarosamente, abrindo e fechando suas asas ainda úmidas.

se ela caisse dali, seria um alvo muito fácil de um possível ataque de gatos.
seria um desastre!
providenciei uma cobertura de forma a deixá-la livre e, ao mesmo tempo, protegida.

dia seguinte, domingo de sol...

28/9/2008 - 8h20min


depois de todos esses dias acompanhando cada pequena mudança, eis que tenho bem ali, na minha frente, essa preciosidade.
agora já fortalecida e pronta a voar por aí, enfeitando e colorindo o mundo.
não é mesmo um poema vivo?





e então, ela partiu...



ao quasímodo, com carinho!

4 comentários:

Quasímodo disse...

"Conheci" você, Uns, na sala do Terra. Conversamos poucas vezes lá.
Bem mais tarde, através de uma amiga comum, voltamos a nos encontrar neste mundo cibernético.
A partir daí nossa amizade se consolidou.
Certa vez você me contou sobre a lagarta e de sua intenção de acompanhar sua evolução. Sua expectativa,tão lúdica, em saber o que aquela lagarta, depois casulo, seria no outro dia, me trouxe à lembrança os contos Persas das "Mil e Uma Noites". Não tive dúvidas: Sherazade seria seu nome.

Hoje Sherazade voa por aí, corta os ares, mergulha na imensidão do céu, não só em forma de um bichinho alado, mas também em forma de meu imenso carinho por voce, e pela sua alma simples, doce e verdadeira.

Um grande abraço, amiga. Torço aqui para que nada interrompa esse voo.

uns olhos... disse...

quasí,

essa nossa aproximação foi uma das melhores coisas que me aconteceram nos últimos tempos.
você tem sido mais que um simples amigo "internético". tem sido um parceiro e um companheiro de profunda doçura, que sabe entender a simplicidade dos meus voos.
é. eu também voo. ;o))
e espero que você esteja sempre por perto p/ poder voar comigo.
obrigada por ter vindo.
obrigada pelo carinho de sempre.
obrigada por me entender.

tilóviu!

Theodora* disse...

Mana verdinha.. estive aqui..

xeretei um bocado.. agora vou trabalhar.. mas deixo meus beijosss

..
beijossss

Anônimo disse...

A dança das palavras não tem limites mesmo nas mais remotas conjecturas de mentes criadoras,
elas podem ser uma brisa de cor, uma borboleta ainda larva ou uma simples flor...
...

Estou E-zado no tempo, virei com calma sentir o cheiro da Primavera, acompanhar o vôo de Sherazade, deixar uns É-s(com traço) no e-spaço onde ela possa poisar.

....

é tão breve e tão intensa a vida de uma "Sherazade", não mais de 3 dias.Deviamos aprender com "ela" a viver o vôo, e-nquanto dura.

...

uns E-beijos nos Olhos, uns braços no Quasímodo